Arabic Korean Japanese Chinese Simplified RussianEnglish French German Spain Italian Dutch

DIETAS JÁ!

A dieta alcalina (- 5kg em um mês!)
O que é: Se Jennifer Aniston e Victoria Beckham já declararam cair de amores pela dieta, é porque realmente se pode ver seus efeitos positivos na balança e na saúde. O objetivo é manter o pH do sangue em 7.5 – missão que só é possível com a ingestão de alimentos alcalinos. O ambiente neutralizado favorece a eliminação de toxinas.
Como a banda toca: A regra é clara e matemática: é preciso consumir uma dieta 80% alcalina e 20% ácida. Os alimentos liberados são legumes, verduras, frutas, azeite e peixes crus (todos alcalinos). Já carnes vermelhas, embutidos e alimentos processados, devem ser evitados. Nota curiosa: frutas cítricas, quando digeridas, tornam-se alcalinas no estômago.
Dores e delícias: Carnívoros e amantes de fast food devem manter o foco para não colocar tudo a perder. O esforço vale a pena: é possível eliminar 5 quilos em um mês, aumentar a imunidade, ganhar uma pele incrível e um intestino tinindo. “Ao combater a acidez do sangue, as células conseguem oxigenação para transportar e eliminar as toxinas, as grandes vilãs
do emagrecimento”.
 A dieta do sangue (- 5kg em um mês!)
O que é:
O médico americano Peter J. D’Adamo se atreveu a unir bioquímica e nutrição– e não é que deu samba? Os estudos resultaram na dieta do Tipo Sanguíneo, que indica um plano alimentar exato para cada tipo de sangue. A atriz Cláudia Raia, uma das entusiastas do método, perdeu 7 quilos e se livrou das crises de enxaqueca ao cortar de vez leite e carne vermelha do cardápio – itens alergênicos para quem é do tipo A.
Como a banda toca: O estudioso foi até os nossos ancestrais para descobrir a ligação antropológica e fisiológica entre a tipagem sanguínea e a alimentação. E concluiu: cada sangue, uma sentença. Segundo o autor, um mesmo alimento pode agir benéfica ou maleficamente conforme o tipo de sangue. Por isso a importância de seguir um cardápio personalizado.
Dores e delícias: Embora as porções diárias de comidinhas devam ser dosadas, o desafio aqui é conseguir se controlar diante dos alimentos proibidos. Já pensou se o que você deve banir é justamente aquilo que mais ama? Mas os benefícios da dieta podem ser vistos (e causar euforia!) após um mês: disposição, desinchaço, metabolismo a mil e cerca de 5 quilos a menos na balança.
balança (Foto: Shutterstock)

A dieta detox (- 9kg em seis semanas!)
O que é:
O detox do cardiologista uruguaio Alejandro Junger não consiste somente em tomar suco verde. O negócio é hard e propõe limpeza de 21 dias por meio de programa alimentar (vendido no cleanprogram.com; US$ 425), que traz shake, probióticos – para ajudar o
intestino a trabalhar – e cápsulas nutricionais.
Como a banda toca: É só pensar em Demi Moore para entender o poder dessa cartilha nutricional. A atriz conseguiu emagrecer horrores (mesmo aos 40 anos, quando o metabolismo não é tão amigo) ao substituir o café da manhã e o jantar por um shake feito pelo médico. E no almoço, somente uma porção de proteína, grãos e verduras.
Dores e delícias: Por não ter excesso de toxinas circulando pelo sangue, o emagrecimento acontece de forma mais rápida. Em apenas um mês, o corpo neutraliza a ação dos radicais livres no organismo, inibindo o envelhecimento precoce das células. O resultado positivo vai além com a melhora da pele e a sensação de leveza por conta da eliminação de líquidos. Mas é preciso muito autocontrole para não “jacar” durante o processo.

A dieta paleo (- 6kg em um mês!)
O que é:
Polêmica que só ela, a dieta paleolítica busca resgatar os hábitos alimentares do homem das cavernas. Estudiosos defendem que o sistema digestório só está preparado para processar aquilo que existia na Pré-História. Consumir alimentos industrializados, segundo os defensores da Paleo, aumenta o nível de toxicidade do sangue, gerando inflamações, desequilíbrio hormonal e risco de obesidade.
Como a banda toca: Você tem de comer do jeitinho que os Flintstones gostavam de se empanturrar. No cardápio, muita carne, vegetais e frutas. Grãos, carboidratos e laticínios não entram. E o jejum prolongado também é indicado para que haja a queima de energia estocada, assim como acontecia antigamente.
Dores e delícias: “Como o consumo de carne é alto, é preciso tomar muita água para que o intestino trabalhe bem e elimine as toxinas”, diz o endocrinologista Alfredo Cury, do RJ. A dieta ameniza com bastante eficácia problemas como dores de cabeça, falta de disposição e irritabilidade.

A dieta Ravenna
O que é:
Você quer ser magra ou ser feliz? É com esta pergunta que o argentino Máximo Ravenna incita suas seguidoras a entrarem de cabeça na dieta que leva o seu nome. A ordem máxima do “ditador” é cortar de vez a farinha branca, manter distância das comidas proibidas e ter medida (restrita) de todos os alimentos durante a refeição. Até salada tem porção certa!
Como a banda toca: O sucesso do plano alimentar é o equilíbrio entre carboidratos complexos (frutas, verduras e leite), proteínas e gorduras do bem. E pode esquecer o sal. Comida boa (para a saúde, pelo menos) é comida insossa. “As refeições não são para agradar, mas para alimentar. A sensação de prazer gera compulsão”, acredita Ravenna.
Dores e delícias: Chato aqui é controlar o desejo por doces e massas. Mas pode ficar tranquila: não há fome, pois o estômago diminui e o corpo acostuma a se alimentar com menos porções. As benesses da dedicação e do foco aparecem já na primeira semana, quando se vão ao menos três quilos. O método ainda dá suporte psicológico àquelas que fecham o pacote mensal (cerca de R$ 1.300) em uma das clínicas físicas ou a distância.

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Oi pessoal, obrigada pelo seu comentário e por lerem meu blog. Sejam sempre bem vindos! Dada Mitinguel.